KISMIF Conference

CALL KISMIF Summer School 2018

A KISMIF Conference 2018 será precedida por uma Summer School intitulada ‘What difference do DIY cultures make?’ (KISMIF Summer School 2018), no dia 3 de julho de 2018, na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

A Summer School oferecerá uma oportunidade a todos os interessados, incluindo aqueles que participem no Congresso, de participar em workshops temáticos estruturantes do campo artístico contemporâneo.

Especificamente, a Summer School oferecerá workshops temáticos expressamente focados na experiência prática, na produção de música e na criação de lugares das culturas DIY contemporâneas. A sua abordagem será metodológica e focada na investigação para a ação.

 

O idioma principal da KISMIF
Summer School é o inglês.

Programa da Summer School______________________

[Esta é uma versão preliminar. Novo conteúdo poderá ser adicionado ou o horário ser alterado ligeiramente.]

09h00 Abertura oficial da Summer School
09h30 The Big Science ‘Queen’ Is Dead: Fazer etnografia do lado de dentro com a incorporação e as questões éticas
Mary Fogarty, Departamento de Dança, Escola de Artes, Media, Performance e Design, Universidade de York, Canadá.
10h30 Strangeways, Here We Come: Introdução à filmografia etnográfica para o cinema digital
Michael MacDonald, Departmento de Música da Faculdade de Belas Artes e Comunicação, MacEwan University, Canadá.
11h30 Coffee-break
12h00 How Soon Is Now: Streaming, música ao vivo, festivais e a ‘eventização’ da música
Claire Hodgson, Responsável de Desenvolvimento Industrial, West Australian Music (WAM), Austrália.
13h00 Lunch
14h30 Does It Matter If They Dance? Etnometodologia do movimento
Mary Fogarty, Departmento de Dança, Escola de Artes, Media, Performance e Design, York University, Canadá.
15h30 CineMusicking: uma abordagem à etnomusicologia filmográfica
Michael MacDonald, Departmento de Música da Faculdade de Belas Artes e Comunicação, MacEwan University, Canadá.
16h30 Coffee-break
17h00 This Night Has Opened My Eyes: Ser um músico hoje – carreiras, criação e criatividade
Claire Hodgson, Responsável de Desenvolvimento Industrial, West Australian Music (WAM), Austrália.
18h00 Closing Remarks
21h00 Social and cultural programme to be confirmed

 

# Depois da Summer School, todos os participantes
receberão um certificado de participação.

Descrição dos workshops temáticos_______________

The Big Science ‘Queen’ Is Dead: Fazer etnografia do lado de dentro com a incorporação e as questões éticas

Mary Fogarty, Departamento de Dança, Escola de Artes, Media, Performance e Design, Universidade de York, Canadá.
Neste Workshop, Mary Fogarty, desafiará os estudantes a encetar e desenvolver uma discussão heurística acerca das questões éticas envolvidas na concretização de pesquisas no “lado de dentro” de uma comunidade. Assim, estará em cena uma discussão e reinterpretação da “reflexividade”, adotando um olhar fenomenológico plural face ao que significa e significará ser um insider (numa variedade de contextos). Procuraremos, igualmente, discutir experiências incorporadas – focadas no nosso próprio corpo, na nossa existência e no nosso vivido – e as lógicas e estratégicas de comparação com outros atores sociais e contextos de ação. O foco incidirá ainda na problematização das fronteiras entre as comunidades e as cenas (sem entrar em especificidades técnicas sobre as distinções académicas subjacentes aos termos), remetendo para as fronteiras das nossas próprias experiências perante as dos outros e os seus significados e ilações face ao desenvolvimento de projetos de investigação.

Strangeways, Here We Come: Introdução à filmografia etnográfica para o cinema digital

Michael MacDonald, Departmento de Música da Faculdade de Belas Artes e Comunicação, MacEwan University, Canadá.
O aparecimento do cinema digital tem vindo a descentralizar a produção filmográfica e a fornecer oportunidades relevantes para os cientistas narrarem e produzirem as suas “histórias”. Para os que pesquisam as culturas DIY, o cinema digital permite partilhar histórias de investigação a uma escala global – sendo que o único impedimento parece ser desconfiança na capacidade de realização de um filme por parte dos investigadores. Michael MacDonald, através deste Workshop, vai coadjuvar os cineastas iniciados e DIY na produção de um filme etnográfico em contexto digital. Como enquadramento, irá discutir brevemente a história da produção filmográfica etnográfica acerca da cultura, o seu papel na antropologia, bem como o surgimento de documentários baseados em observação etnográfica e cinema vérité. Michael MacDonald irá igualmente discutir os impactos dos documentários sobre a música, especificamente no âmbito do docudrama, dos biópticos de músicos famosos, dos mockumentários, dos videoclips musicais, das labels e da MTV. O Workshop será ativamente dinamizado com o desenvolvimento de atividades práticas que expliquem o processo de produzir e pensar um filme de investigação.

How Soon Is Now: Streaming, música ao vivo, festivais e a ‘eventização’ da música

Claire Hodgson, Responsável de Desenvolvimento Industrial, West Australian Music (WAM), Austrália.
A recente expansão e comodificação dos estilos de vida hedonistas juvenilizados, prevalecentes nas sociedades pós-industriais ocidentais, tem tido implicações claras e multifacetadas nos festivais de música. Um conjunto crescente de autores apontam que os festivais de música têm vindo a transformar-se em arenas altamente comodificadas de simultaneidade de produção e de consumo cultural, afetando uma vasta gama de subgéneros musicais da música pop. Como resultado, os festivais de música têm vindo a tornar-se cada vez mais respostas à pluralização, mobilização e globalização, tentando ser veículos de comunicação de identidades, de comunidades, de localidades e de pertenças. Neste workshop, Claire Hodgson discutirá a urgência e a intensidade da opção pela música ao vivo, transformando-a num evento crucial para a música contemporânea – uma tendência que remete para o ethos e praxis do DIY. Aqui, esta programadora irá operacionalizar concertos, festivais e eventos, indagando: “como se faz um festival DIY?”. A resposta virá de múltiplas fontes: conteúdos ligados aos média sociais e marketing, agendas das tournées, vivências dos gigs e programas e planos de distribuição.

Does It Matter If They Dance? Etnometodologia do movimento

Mary Fogarty, Departmento de Dança, Escola de Artes, Media, Performance e Design, York University, Canadá.
Neste Workshop, Mary Fogarty irá apresentar uma breve resenha da literatura académica sobre subculturas, cenas e práticas DIY relacionadas com a dança. Paralelamente, discutirá algumas modalidades de pensar os significados da dança em vários espaços-tempos — em clubes noturnos, nas ruas, nos concertos e nas casas — fornecendo estratégias para analisar o movimento de corpos. Num segundo momento, o Workshop envolverá uma abordagem etnometodológica, próxima da dance-in-action. Assim, em grupo, serão visualizados diversos vídeos centralizados na dança de pessoas, sendo um mote para a discussão e a interpretação dos movimentos dos corpos e sua relevância para a investigação de práticas musicais DIY.

CineMusicking: uma abordagem à etnomusicologia filmográfica

Michael MacDonald, Departamento de Música da Faculdade de Belas Artes e Comunicação, MacEwan University, Canadá.
Em Setembro de 2017, a revista Popular Mechanics dedicou um número inteiro à questão do vídeo digital, chamando-lhe “a tecnologia dos nossos tempos”. Ainda que seja notável o sucesso dos vídeos do-it-yourself, do vídeo blogging e das aplicações de partilha de vídeos – contribuintes e catalisadores da acessibilidade do vídeo – continuam a não existir métodos filmográficos digitais etnomusicológicos passíveis de aproveitar estas vantagens. O CineMusicking é uma abordagem que se baseia num compromisso em trabalhar com as pessoas para contar as suas histórias, transcendendo a objetividade dos documentários observacionais para cultivar um sentimento de faire corps para o investigador, incorporando os sujeitos no processo de investigação e seus objetivos. Este Workshop irá introduzir três abordagens ao CineMusicking: cine-retrato, filmes etnográficos e filmes de etno-ficção. Tomando exemplos dos filmes de Michael MacDonald, o próprio investigador-cineasta irá discutir o desenvolvimento de projetos, questões de gravação de áudio e de vídeo e realizar abordagens à edição.

This Night Has Opened My Eyes: Ser um músico hoje – carreiras, criação e criatividade

Claire Hodgson, Responsável de Desenvolvimento Industrial, West Australian Music (WAM), Austrália.
Neste Workshop, Claire Hodgson discutirá o contexto de mudança acelerada em que vivemos e os desafios que este coloca para a profissão e carreira de um músico DIY. Será que o DIY significa “pobreza”? Um regresso ao passado? Ou uma abordagem ao futuro? O espaço e o tempo têm sido tradicionalmente tópicos de indagação junto de académicos , de artistas e de músicos. São, por um lado, pontos fulcrais para compreender as cenas, comunidades e identidades, e por outro, formas de ver a economia, a política e a logística – bem como interações entre os dois lados. Diz-se frequentemente que “Nada será como antes”: mas o que significa isso? Será pensar em novos processos de escrita de música, em serviços de rádio, novas estratégias de publicação e de gravação, fornecimentos de serviços legais e de financiamento para produção? Será que todas estas áreas poderão interessar aos artistas? Será o músico um “profissional total”? Considerações, conselhos e informação são os meios que Claire Hodgson usará para lidar com esta questão complexa (e sempre inacabada). Os serviços de streaming abrangem configurações que possibilitam a organização da música em listas – será isso o fim do músico ou o advento de música em todo o lado? São estas e outras questões acutilantes e paradoxais que alimentarão este Workshop.

 

Apresentação Conference | Datas Importantes | Instruções

 

Oradores Convidados | Conference | Submissão de Propostas | Inscrição

 

 

Share

LOGO-KISMIF project
KISMIF Conference 2016_ Aftermovie
>>>